Lucro líquido ajustado da Gerdau alcança R$ 1 bilhão no 3T de 2018<p>A Gerdau encerrou o terceiro trimestre com uma expressiva evolução em seu desempenho, alcançando receita líquida de R$ 12,8 bilhões, crescimento de 35% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Essa expansão foi motivada principalmente pela melhoria dos mercados brasileiro e internacional e pelo efeito do câmbio na conversão de receitas para real.&#160;<br></p><div><br></div><div>Além da evolução da receita líquida, a boa performance da Gerdau reflete os esforços de gestão de todas as suas operações, que resultaram, por exemplo, no menor nível histórico das despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&amp;A), as quais passaram a representar 3,3% da receita líquida. Como consequência dos esforços de gestão, a geração de caixa operacional (EBITDA) consolidada ajustada da Gerdau também evoluiu, passando para R$ 2 bilhões no terceiro trimestre, um aumento de 73% em relação ao mesmo período do ano anterior, o que representa o melhor desempenho trimestral da Gerdau dos últimos dez anos e, ao mesmo tempo, o terceiro maior valor histórico. Já o lucro líquido ajustado consolidado chegou a R$ 1 bilhão, mais de seis vezes superior ao resultado de R$ 145 milhões do terceiro trimestre de 2017.</div><div><br></div><div>No acumulado entre janeiro e setembro, a receita líquida consolidada da Gerdau foi de R$ 35,3 bilhões, 30% maior que nos primeiros nove meses de 2017. O EBITDA chegou a R$ 5,3 bilhões – alta de 67% na comparação com o mesmo período anterior. Nos primeiros nove meses do ano, o lucro líquido ajustado consolidado, por sua vez, atingiu R$ 2,2 bilhões contra R$ 258 milhões no ano passado.</div><div><br></div><div>“Conseguimos o melhor EBITDA trimestral dos últimos dez anos da Gerdau, o que reforça a estratégia que estamos seguindo, de ampliar a rentabilidade das operações. No terceiro trimestre, os destaques foram as melhorias nos desempenhos da operação do Brasil e da América do Norte, nossos principais mercados de atuação. Além disso, concluímos neste mês de novembro a venda de quatro usinas produtoras de vergalhões nos Estados Unidos, anunciada no início do ano, o que finaliza nosso ciclo de desinvestimentos. Com isso, passamos a nos focar em operações mais rentáveis, além de reduzir o endividamento para um patamar mais confortável. Gostaria de prestar meu reconhecimento aos nossos colaboradores, que, por sua dedicação, são os grandes responsáveis por nossa capacidade de superar desafios”, afirma o Diretor-Presidente (CEO) da Gerdau, Gustavo Werneck.</div><div><br></div><div>Em relação à rentabilidade das operações no terceiro trimestre de 2018, praticamente todas apresentaram evolução significativa. A operação Brasil (exclui usinas de aços especiais) alcançou 20,3% de margem EBITDA (relação entre receita líquida e EBITDA) contra 14,1% no mesmo período do ano anterior. Já a América do Norte (exclui usinas de aços especiais), apresentou margem EBITDA de dois dígitos, passando de 6% no terceiro trimestre de 2017 para 10,5%. A Operação de Negócio de Aços Especiais (inclui usinas no Brasil, nos Estados Unidos e na Índia), por sua vez, teve margem EBITDA de 16,1%, impactada pelo aumento dos custos de insumos e matérias-primas, especialmente sucata e ligas. A margem EBITDA dos demais países da América do Sul (exceto Brasil) chegou a 20,4% contra 15,8%.</div><div><br></div><div style="text-align&#58;center;"><strong>Investimentos totalizam R$ 319 milhões no terceiro trimestre</strong></div><div><br></div><div>No terceiro trimestre, a Gerdau investiu R$ 319 milhões em ativo imobilizado (CAPEX), sendo 43% no Brasil, 32% na América do Norte, 5% nos demais países da América Latina e 20% na Operação de Aços Especiais. Nos primeiros nove meses do ano, foram destinados R$ 835 milhões em investimentos para as operações da Gerdau globalmente, dedicados à melhoria de desempenho e à manutenção de nossas operações.</div><div><br></div><div style="text-align&#58;center;"><strong>Gerdau conclui venda de unidades produtoras de vergalhões&#160;</strong></div><div style="text-align&#58;center;"><strong>nos Estados Unidos por US$ 600 milhões, mais ajustes de capital de giro</strong><br></div><div><br></div><div>No dia 5 de novembro, a Gerdau concluiu a venda de quatro usinas produtoras de vergalhões, assim como unidades de corte e dobra de aço e centros de distribuição nos Estados Unidos, para a Commercial Metals Company (CMC). O acordo incluiu as usinas de Jacksonville (FL), Knoxville (TN), Rancho Cucamonga (CA) e Sayreville (NJ), com uma capacidade de produção combinada de 2,5 milhões de toneladas curtas por ano. O valor econômico da transação é de US$ 600 milhões, além de aproximadamente US$ 100 milhões de ajustes estimados no capital de giro. Com a conclusão dessa venda, a Gerdau finaliza seu programa de desinvestimentos, passando a focar-se em suas operações com maior rentabilidade nas Américas.</div><div><br></div><div style="text-align&#58;center;"><strong>Pagamento de dividendos será realizado no dia 3 de dezembro</strong></div><div><br></div><div>As empresas de capital aberto no Brasil – Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A – pagarão dividendos no dia 3 de dezembro de 2018. Serão pagos R$ 221,3 milhões para os acionistas da Gerdau S.A. (R$ 0,13 por ação) e R$ 88 milhões para da Metalúrgica Gerdau S.A. (R$ 0,09 por ação). No acumulado do ano, os dividendos aprovados aos acionistas da Gerdau S.A somam R$ 596 milhões (R$ 0,35 por ação) e R$ 195 milhões (R$ 0,20 por ação) da Metalúrgica Gerdau S.A.</div><div><br></div><div>&#160;<span style="white-space&#58;pre;"> </span></div><div>São Paulo, 7 de novembro de 2018.</div><div>Assessoria de imprensa – 11 3094-6267</div><div>www.gerdau.com</div><div><br><br></div><p><br></p>https://www.gerdau.com/br07/11/2018 10:45:2007/11/2018 10:45:20
Gerdau conclui venda de usinas produtoras de vergalhão nos EUA para CMChttps://www.gerdau.com05/11/2018 13:06:3705/11/2018 13:06:37
Gerdau vende ativos na Índiahttps://www.gerdau.com/br27/08/2018 16:49:1927/08/2018 16:49:19
Maior reconhecimento para o setor de máquinas e equipamentos agrícolas da América do Sul, 34° Prêmio Gerdau Melhores da Terra apresenta vencedores na Expointerhttps://www.gerdau.com/br27/08/2018 16:45:0427/08/2018 16:45:04
Gerdau e Artemisia lançam programa de aceleração de startups de impacto socialhttps://www.gerdau.com23/08/2018 17:55:0123/08/2018 17:55:01
Gerdau anuncia lucro líquido ajustado de R$ 746 milhões no 2º trimestre<p><br></p><div>A melhoria dos mercados de atuação da Gerdau – principalmente Brasil e Estados Unidos –, somada à variação cambial da moeda brasileira, ampliou sua receita líquida consolidada para R$ 12 bilhões no segundo trimestre de 2018, 31% de crescimento sobre o mesmo período do ano anterior. As vendas físicas, por sua vez, chegaram a 3,8 milhões de toneladas, uma evolução de 3% perante os meses de abril a junho de 2017, ao passo que a produção de aço apresentou redução de 2%, para 4 milhões de toneladas.<br></div><div><br></div><div>A geração de caixa operacional (EBITDA) chegou a R$ 1,8 bilhão no segundo trimestre, alcançando seu melhor desempenho trimestral dos últimos dez anos. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o EBITDA apresentou evolução de 57%. Esse bom desempenho também está ligado aos esforços internos de gestão da Gerdau, que, por exemplo, fizeram com que as despesas com vendas, gerais e&#160; administrativas (SG&amp;A) chegassem ao seu melhor nível histórico. No segundo trimestre, as despesas com vendas, gerais e administrativas alcançaram 3,6% da receita líquida. Já o lucro líquido ajustado, excluindo principalmente os efeitos não-recorrentes pela venda da operação no Chile, passou de R$ 147 milhões no segundo trimestre de 2017 para R$ 746 milhões no segundo trimestre de 2018.&#160;</div><div><br></div><div>“Fechamos o trimestre com um dos melhores resultados dos últimos anos, o que reforça nossa confiança que estamos no caminho certo, na busca por maior rentabilidade e retorno para nossos acionistas. Um dos destaques no período foi o bom desempenho de nossa operação na América do Norte, voltada para a produção de aços longos, cujo EBITDA foi o melhor desempenho trimestral desde 2008. Em nível global, nossas margens evoluíram e conseguimos capturar oportunidades de mercado. Também mantivemos os indicadores de endividamento estáveis, com tendência à redução neste ano à medida que houver a conclusão do processo de venda das unidades de vergalhão nos Estados Unidos anunciado em janeiro deste ano. Ao longo dos próximos trimestres, seguiremos buscando oportunidades de melhoria de desempenho, assim como daremos continuidade ao trabalho de inovação digital junto aos nossos clientes, contribuindo para o crescimento de seus negócios”, afirma o Diretor-Presidente (CEO) da Gerdau, Gustavo Werneck.</div><div><br></div><div>Ao longo dos seis primeiros meses deste ano, a receita líquida cresceu 27% em relação ao mesmo período do exercício anterior, para R$ 22,4 bilhões, enquanto que as vendas físicas aumentaram 6%, somando 7,7 milhões de toneladas. De janeiro a junho, o EBITDA foi de R$ 3,2 bilhões, demonstrando 64% de acréscimo, e o lucro líquido ajustado atingiu R$ 1,2 bilhão contra R$ 113 milhões no primeiro semestre de 2017.</div><div><br></div><div>Em relação ao desempenho de vendas no segundo trimestre de 2018, praticamente todas as operações apresentaram crescimento. No Brasil, apesar do relevante impacto da greve dos caminhoneiros, as vendas para o mercado interno (não incluem as unidades produtoras de aços especiais) evoluíram 13% em relação ao segundo trimestre de 2017, atingindo 982 mil toneladas. As exportações a partir do País, porém, apresentaram redução de 25% e somaram 382 mil toneladas, principalmente em função da parada programada de manutenção do alto-forno 2 da usina de Ouro Branco (MG), o qual já retomou sua operação.</div><div><br></div><div>Nos Estados Unidos e no Canadá (não incluem as unidades produtoras de aços especiais), foi vendido 1,7 milhão de toneladas, 7% a mais em relação ao segundo trimestre do ano anterior, influenciado pela melhoria do mercado e pelos efeitos positivos da reforma tributária e da seção 232 para as empresas com produção local de aço. Já as unidades nos demais países da América Latina (exceto Brasil) contabilizaram 386 mil toneladas comercializadas, volume 12% inferior frente ao segundo trimestre de 2017, principalmente pela desconsolidação da operação da Colômbia, realizada a partir de junho de 2017. Já as vendas realizadas pela Operação de Negócio de Aços Especiais (incluem usinas no Brasil, nos Estados Unidos e na Índia) somaram 569 mil toneladas, um acréscimo de 11% frente ao segundo trimestre de 2017 influenciado pelo aumento da demanda no Brasil e Estados Unidos.</div><div><br></div><div style="text-align&#58;center;"><strong>Investimentos alcançam R$ 299 milhões no segundo trimestre</strong></div><div><br></div><div>Ao longo do segundo trimestre, a Gerdau investiu R$ 299 milhões em ativo imobilizado (CAPEX), sendo 49% no Brasil, 36% na América do Norte, 4% nos demais países da América Latina e 11% na Operação de Aços Especiais. Considerando os primeiros seis meses do ano, foram destinados R$ 516 milhões em investimentos para as operações da Gerdau globalmente, majoritariamente dedicados à manutenção das unidades.</div><div><br></div><div style="text-align&#58;center;"><strong>Pagamento de dividendos será realizado no dia 31 de agosto</strong></div><div><br></div><div>As empresas de capital aberto no Brasil – Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A – pagarão dividendos trimestrais no dia 31 de agosto de 2018. Serão pagos R$ 238,3 milhões para os acionistas da Gerdau S.A. (R$ 0,14 por ação) e R$ 68,4 milhões para da Metalúrgica Gerdau S.A. (R$ 0,07 por ação).</div><div><br></div><div><br></div><div><br></div><div>São Paulo, 8 de agosto de 2018.<br></div><div>Assessoria de imprensa – 11 3094-6322</div><div>www.gerdau.com</div><div><br><br></div><p><br></p>https://www.gerdau.com08/08/2018 14:21:2108/08/2018 14:21:21
Gerdau lucra R$ 451 milhões no 1º trimestre com esforços de gestão e melhoria dos mercados<div>A maior demanda por aço nos mercados de atuação da Gerdau ampliou em 23% sua receita líquida consolidada no primeiro trimestre, para R$ 10,4 bilhões. As vendas físicas, no período, cresceram 8%, alcançando 3,9 milhões de toneladas, enquanto que a produção de aço atingiu 4,2 milhões de toneladas, volume 4% superior perante os primeiros três meses do ano anterior.<br></div><div><br></div><div>A geração de caixa operacional (EBITDA) consolidada ajustada, por sua vez, chegou a R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre, o que representa um crescimento de 74% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse bom desempenho foi influenciado pela expansão de 23% da receita líquida – um crescimento percentual maior que o de custos das vendas – e pela redução de 4% das despesas com vendas, gerais e administrativas. Todas as operações de negócios (Brasil, América do Norte, Aços Especiais e América do Sul) apresentaram crescimento do EBITDA superior a 50% no primeiro trimestre na comparação com os três primeiros meses de 2017. No primeiro trimestre de 2018, o lucro líquido ajustado da Gerdau foi de R$ 451 milhões, revertendo o resultado negativo ajustado de R$ 34 milhões no mesmo período do ano anterior.&#160;<br></div><div><br></div><div>“O bom desempenho da Gerdau reflete nossos esforços de gestão e a melhora dos mercados, destacadamente o Brasil e a América do Norte. Fechamos os três primeiros meses de 2018 com lucro líquido ajustado de R$ 451 milhões, o melhor resultado trimestral dos últimos quatro anos. Seguimos, portanto, focados em nossas prioridades&#58; ampliar a rentabilidade e competitividade de nossas operações, assim como reduzir o endividamento. Realizamos uma gestão austera do CAPEX e das despesas com vendas, gerais e administrativas, e conseguimos gerar fluxo de caixa livre positivo, que alcançou R$ 65 milhões no primeiro trimestre, revertendo um padrão histórico de sazonalidade no período. Além disso, melhoramos nossos indicadores de endividamento líquido, o qual caiu para 2,7x o EBITDA. Esse bom desempenho também reflete o profundo processo de transformação que estamos vivendo, marcado pela aceleração digital de várias frentes e pela continuidade da implantação da nova cultura empresarial”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, Gustavo Werneck.<br></div><div><br></div><div>Ao longo do trimestre, as vendas físicas para o mercado interno brasileiro (não incluem as unidades produtoras de aços especiais) somaram 996 mil de toneladas, um crescimento de 15% influenciado pela melhora da demanda da indústria. Já as exportações a partir do Brasil alcançaram 442 mil toneladas, 8% a mais em relação ao primeiro trimestre de 2017.&#160;</div><div><br></div><div>As operações no Canadá, nos Estados Unidos e no México (não incluem usinas de aços especiais) comercializaram 1,7 milhão de toneladas no primeiro trimestre, apresentando expansão de 7% perante o mesmo período do ano passado. Já as unidades nos demais países da América do Sul (não inclui Brasil) contabilizaram 376 mil toneladas vendidas, patamar 23% menor frente ao primeiro trimestre de 2017, devido à desconsolidação da operação da Colômbia a partir de junho de 2017. Entretanto, mantendo a mesma base de comparação, ou seja, excluindo os volumes vendidos na Colômbia também no primeiro trimestre de 2017, as vendas físicas apresentaram um aumento de 5%.&#160;<br></div><div><br></div><div>As vendas realizadas pela Operação de Negócio Aços Especiais (incluem usinas no Brasil, nos Estados Unidos e na Índia), por sua vez, totalizaram 514 mil toneladas, 17% superior em relação ao primeiro trimestre de 2017.&#160;<br></div><div><br></div><div><strong>Investimentos totalizam R$ 217 milhões no primeiro trimestre</strong></div><div><br></div><div>No primeiro trimestre, foram investidos R$ 217 milhões em ativo imobilizado (CAPEX). Do total desembolsado, 43% foram destinados para a Operação Brasil, 37% para as unidades na América do Norte, 5% para as plantas dos demais países da América do Sul e 15% para a Operação Aços Especiais.&#160;<br></div><div><br></div><div>No mês de março, foi aprovado pelo Conselho de Administração um dos principais investimentos a serem realizados em 2018&#58; a ampliação da capacidade de produção e a atualização tecnológica da usina de Monroe (EUA), voltada para a produção de aços especiais. Serão investidos R$ 240 milhões, reforçando o compromisso da Gerdau com o importante mercado automobilístico da América do Norte. Ao final do investimento, a usina de Monroe terá capacidade de entregar 720 mil toneladas curtas de aço por ano</div><div><br></div><div>Outro destaque é o início da produção das peças para indústria eólica na joint venture Gerdau Summit, uma parceria com as empresas japonesas Sumitomo e Japan Steel Works, inaugurada no ano passado. Atualmente, as obras civis já estão concluídas e os equipamentos estão sendo instalados, atendendo ao cronograma previsto e com investimento inferior ao valor previsto. A produção deverá iniciar em junho e já foi iniciado o processo de homologação dos produtos junto aos clientes.</div><div><br></div><div><strong>Pagamento de dividendos da Gerdau S.A. será realizado no dia 1º de junho&#160;</strong></div><div><br></div><div>No dia 1º de junho, a Gerdau S.A., com base nos resultados obtidos no primeiro trimestre, pagará antecipadamente o dividendo mínimo obrigatório na forma de juros sobre capital próprio. Serão destinados R$ 136,1 milhões para os acionistas da Gerdau S.A. (R$ 0,08 por ação), valor equivalente a todo o montante distribuído ao longo de 2017. Na Metalúrgica Gerdau S.A também haverá antecipação de dividendos no valor de R$ 39,1 milhões (R$ 0,04 por ação).<br></div><div><br></div><div><strong>Sobre a Gerdau</strong><br></div><div><br></div><div>A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que ampliam o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.</div><div><br></div><div>www.gerdau.com</div><div>www.facebook.com/GerdauSa&#160;<br></div><div>@gerdau (http&#58;//twitter.com/gerdau)</div><div>www.linkedin.com/company/gerdau</div><div><br></div><div><strong>Assessoria de imprensa - (11) 3094-4267</strong></div><div><br><br></div><p>​</p>https://www.gerdau.com09/05/2018 19:46:5309/05/2018 19:46:53
34º Prêmio Gerdau Melhores da Terra apresenta vencedores na Agrishow<div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">Ribeirão Preto, 30 de abril de 2018 – Nesta segunda feira (30), foram divulgados os nomes dos vencedores do Prêmio Gerdau Melhores da Terra, que aconteceu durante a cerimônia de abertura da 25ª edição da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação – conhecida como Agrishow.</span></div><div><br class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style=""></div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">Na categoria &quot;Agricultura Familiar&quot;, a vencedora foi a colhedora de forragem JM4200SH com Cracker da Jumil. A máquina ensiladora de uma ou duas linhas pode ser acoplada ao trator e tem o objetivo de incrementar a produtividade pecuária leiteira familiar. Ela melhora a qualidade da silagem consumida pelos animais e, consequentemente, amplia a rentabilidade dos pecuaristas – que atualmente são responsáveis por cerca de 47% do volume total de produção de leite, segundo a CNA Brasil.</span></div><div>&#160;</div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">Já na categoria &quot;Agricultura de Escala&quot;, o distribuidor a lanço UNIPORT 5030 NPK da Jacto foi o destaque. Ele opera com distribuição de fertilizantes sólidos e é utilizado na produção de grãos, algodão e pastagem. Seu sistema inteligente, baseado em um banco de dados que dá o ponto de partida na regulagem, a se adequa à operação de outras máquinas, como pulverizadores, por exemplo. É possível também restringir a aplicação para evitar que o produto seja lançado para fora da área desejada, além realizar aplicações em taxas variáveis, seguindo o conceito de agricultura de precisão.&#160;</span></div><div>&#160;</div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">Reconhecido como uma das principais homenagens para o setor de máquinas e equipamentos agrícolas da América do Sul, o&#160; Prêmio Gerdau Melhores da Terra, que está em sua 34ª edição, objetiva incentivar a inovação e a excelência no setor do agronegócio.</span></div><div>&#160;</div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">Para concorrer à categoria “Novidade Agrishow”, foi necessário realizar a inscrição no site e expor o equipamento durante a edição de 2018. A comissão julgadora percorreu os estandes das empresas participantes para avaliar tecnicamente os produtos.&#160;</span></div><div>&#160;</div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">O prêmio conta com a parceria institucional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado do Paraná, Associação Brasileira de Engenharia Agrícola (SBEA), Instituto Argentino de Normalización y Certificación (IRAM/Argentina), Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow/SP), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e Expointer (RS).</span></div><div>&#160;<br></div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style=""><strong>Sobre a Gerdau</strong></span></div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-2-5" style="">A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.</span></div><div>&#160;<br></div><div><br><br></div><p>​<br></p>https://www.gerdau.com/br02/05/2018 21:16:4302/05/2018 21:16:43
Gerdau anuncia novo presidente na América do Norte<p><span style="color&#58;#181818;">A Gerda</span><span style="color&#58;#181818;">u S.A. anuncia que Chia Yuan Wang, atualmente vice-presidente de suprimentos na América do Norte, foi efetivado, hoje, como novo Presidente da Operação de Negócio América do Norte. Wang está sucedendo o Diretor-Presidente (CEO) da Gerdau, Gustavo Werneck, que estava temporariamente acumulando essa posição nos últimos três meses. O novo presidente da operação de negócio América do Norte tem quase 30 anos de experiência na Gerdau e durante esse período atuou em diversas posições no Brasil, Canadá, China e Estados Unidos, com um histórico de sucesso de resultados.</span></p><div><span class="ms-rteThemeForeColor-4-5"><span>De acordo com Gustavo Werneck, Diretor-presidente (CEO) da Gerdau, “nós vemos uma grande oportunidade de melhorar a nossa performance geral na operação de negócio América do Norte e Wang tem uma visão estratégica relevante, habilidade para promover mudança do negócio e para trazer resultados positivos. Na sua nova posição, ele também terá o desafio de acelerar nossa transformação cultural e digital para melhor servir nossos clientes, bem como desenvolver futuros líderes para a Gerdau”. A operação de negócio América do Norte é responsável por 40% da receita líquida consolidada e por 18% do EBITDA consolidado.</span><br></span></div><div><br class="ms-rteThemeForeColor-4-5"></div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-4-5"><span>“É uma grande honra liderar a operação que tenho servido pelos últimos anos. A Gerdau tem um grande time e estou confiante que podemos construir um caminho para o crescimento na América do Norte, um de nossos mercados mais relevantes”, disse o novo presidente da operação de negócio América do Norte, Chia Yuan Wang.</span><br></span></div><div><br class="ms-rteThemeForeColor-4-5"></div><div><span class="ms-rteThemeForeColor-4-5">Wang é formado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e possui cursos de educação executiva pela Harvard Business School.</span><br><br></div><p style="text-align&#58;justify;"><strong class="ms-rteThemeForeColor-4-5">Sobre a Gerdau</strong></p><p style="text-align&#58;justify;"><span class="ms-rteThemeForeColor-4-5">A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.</span><br></p><p><br></p>https://www.gerdau.com/br24/04/2018 21:47:3324/04/2018 21:47:33
Programa da Gerdau e BChem transforma óleo usado em energia renovável<p>No último mês de março, a Gerdau anunciou o lançamento do programa Bionergia Social, parceria da empresa com a startup Bchem Biocombustíveis, que participa do Acelera Mestrado e Doutorado da FIEMG Lab. O programa tem o intuito de orientar a população sobre os problemas causados pelo descarte incorreto do óleo, gerar emprego e renda, bem como produzir energia renovável, de forma inovadora, a partir da coleta do material e posterior transformação em biodiesel.<br></p><div><br></div><div>As cidades que recebem o programa, neste primeiro momento, são&#58; Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Moeda, Ouro Branco e Ouro Preto. Depois, expandirá para Belo Vale, Mariana e Santana do Paraopeba.</div><div><br></div><div><br></div><div><strong>Etapas do projeto</strong></div><div><br></div><div>Em sua primeira fase, o Bionergia Social desenvolverá uma série de atividades educacionais com a comunidade das cidades onde será implementado. Escolas, estabelecimentos comerciais, associações e outras entidades vão receber palestras de conscientização sobre as consequências do descarte incorreto do óleo, que afeta redes de esgoto, represas, rios, oceanos e solo. Com isso, ocorrem entupimentos e altos níveis de poluição, o que compromete a cadeia alimentar aquática, eleva pragas urbanas (ratos e baratas), problemas de higiene e mau cheiro, além de causar danos irreparáveis ao meio ambiente.</div><div><br></div><div>Restaurantes, bares, pastelarias, padarias, hospitais, escolas e outros estabelecimentos interessados poderão se cadastrar, por meio da página do Facebook do programa (https&#58;//www.facebook.com/bioenergiasocial ), para receberem gratuitamente um coletor de óleo e se tornarem ponto de coleta para a população. O recolhimento do óleo usado será realizado de forma gratuita pela startup Bchem Biocombustíveis.</div><div><br></div><div>Na segunda etapa, com previsão para o segundo semestre de 2018, terá início a produção do biodiesel pela startup, por meio de um processo inovador, que não gera resíduos. Após validações, o combustível será utilizado em equipamentos.</div><div><br></div><div><strong>Números</strong></div><div><br></div><div>A estimativa de produção de óleo de soja no Brasil para 2018 é de 8,5 milhões de toneladas, segundo informações da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). Desse montante, menos de 1% é reciclado.</div><div><br></div><div>Cada um litro de óleo despejado diretamente no meio ambiente contamina até 25 mil litros de água. No processo de tratamento de água para consumo, o descarte incorreto do óleo representa um aumento em até 45% do custo.<br></div><div><br></div><div><strong><br></strong></div><div><strong>Sobre a Bchem Biocombustíveis</strong></div><div><br></div><div>É uma startup criada a partir de pesquisas desenvolvidas em laboratórios da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com a Universidade de Itaúna. Integrante do Programa Acelera Mestrado e Doutorado da FIEMG Lab, a empresa trabalha, há dez anos, em projetos de desenvolvimento de tecnologias para reaproveitamento de óleos vegetais. Como resultado das soluções que disponibiliza para o mercado, eleva a sustentabilidade técnica, econômica e ambiental de grandes empresas.</div><div><br></div><div><strong>&#160;Sobre a Gerdau</strong></div><div><br></div><div>A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que ampliam o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.<br></div><p>​<br></p><div>www.gerdau.com</div><div><br></div><div>www.facebook.com/GerdauSa<br></div><div><br></div><div>@gerdau (http&#58;//twitter.com/gerdau)</div><div><br></div><div>www.linkedin.com/company/gerdau</div><div><br></div><div>Assessoria de imprensa – 11 3094-6322</div><div><br></div><div>imprensa@gerdau.com.br<br></div><p><br></p>https://www.gerdau.com/br20/04/2018 15:34:0720/04/2018 15:34:07

De
Nome
Para
Nome
E-mail